Produção Gráfica - Parte 8 - “Cores no processo de impressão gráfica”


Fatores que alteram a percepção da cor:

Fatores do meio ambiente, incidência de luz e a umidade do ar, bem como a proximidade de outras cores influenciam a percepção de uma cor. Cada máquina utilizada para produzir uma peça, seja um scanner, uma impressora ou uma máquina de impressão gráfica, reproduz a cor de modos diferentes. Mesmo dois monitores, com as mesmas especificações, podem apresentar tonalidades de cor diferentes um do outro.

Monitores e scanners reproduzem as cores utilizando o sistema RGB. Já as impressoras e gráficas utilizam o sistema CMYK (cores pigmento primárias) - pigmentos nas cores preta, amarela, ciano e magenta, impressos em papel através de retículas que se combinam em proporções.

Assim, o sistema RGB e o CMYK constituem dois modelos diversos para descrever cor conforme a mídia utilizada. É preciso considerar também que, na impressão, a cor muda segundo o papel e a tinta que se utiliza e o acabamento que pode ser feito com vernizes brilhantes ou mates.

Para especificar as cores, utilizam-se as escalas industrializadas. A mais utilizada é a escala PANTONE ou a escala CMYK

Confira neste link um livro muito útil, seu conteúdo traz escalas CMYK e combinações de cores prontas facilitando em qualquer produção, principalmente para os não profissionais.


Cores no Processo de Impressão Gráfica

Quando criamos uma peça a cores, esperamos que o resultado final seja o que planejamos. Para conseguir isto precisamos de três coisas:
• Uma clara compreensão do processo de cor e de como ela é vista e impressa por diferentes máquinas;
• Um conhecimento dos processos comerciais de impressão;
• Uma comunicação bem estabelecida com o fornecedor.


Separação de cor no Processo de Impressão Gráfica

Para imprimir uma arte a cores, primeiro separam-se as cores, produzindo-se um filme em positivo (fotolito) para cada cor, separadamente. O processo de produção desses filmes era feito fotograficamente. Hoje, utilizam-se máquinas chamadas "imagesetters" que transferem as imagens do computador diretamente ao filme.

Impressão digital direta (sem fotolito)

Na impressão digital direta as prensas são conectadas à estação de trabalho que criam arquivos post script a partir de arquivos digitais. As prensas não requerem fotolitos e, em alguns casos, nem mesmo chapas de impressão.

Algumas dessas prensas transferem as informações através de cilindros eletro fotográficos, em vez de chapas usam toners para imprimir páginas à quatro cores. Este processo presta-se para pequenas tiragens. Outras mandam a informação digitalizada diretamente para as chapas da prensa e têm sido utilizadas para impressão em rotogravura que serve para grandes tiragens como nas revistas.

Tintas prontas (SPOT COLORS)

As tintas prontas são pré-misturadas antes da impressão. Uma tinta utilizada a 100% vai imprimir uma cor chapada e o fotolito apresenta-se liso, sem retículas. Para clarear as áreas impressas com uma cor utilizam-se retículas, como no processo de meios tons em preto e branco. Ao misturar cores prontas, aplicam-se percentuais de retículas nas áreas a serem misturadas.

Impressões a duas cores são chamadas de dicromias, a três cores de tricomias e, a quatro cores ou mais, de policromias. Para utilizar tintas prontas deve-se ter em mãos o catálogo do fabricante para especificá-las sem erro.

Tintas processadas (PROCESS COLOR)

Cores processadas são obtidas pela impressão das cores CMYK em retículas. As tintas utilizadas no processo CMYK são também chamadas de escala Europa.

Teoricamente, com a mistura CMY (três cores primárias) deveríamos ter também o preto. No entanto, na prática, isto não é possível pela qualidade dos pigmentos que não é ideal. O amarelo tende a clarear as misturas para a tonalidade marrom. Assim, para conseguir uma boa qualidade final e sombras bem marcadas, usamos o preto juntamente com as primárias. Outra razão é que, se imprimíssemos as três cores a 100%, a camada de tinta ficaria muito densa reduzindo a qualidade.

Cores especiais

Chamam-se especiais às cores utilizadas além das quatro cores primárias. Por exemplo, os dourados e prateados, também chamadas de quinta cor.

Processos de Impressão da Cor

Pode-se escolher a representação da cor entre vários processos de impressão, dependendo do tipo de trabalho que se executa:

Off Set

É um processo derivado da litografia (gravura em pedras). O princípio da litografia é aquele que diz que água e óleo não se misturam. A chapa de impressão fixa a tinta porque a área onde está a imagem é tratada para receber uma tinta com base em óleo e rejeitar a água. Nas gráficas mais antigas, passa uma cor de cada vez na chapa e as cores têm que ser trocadas . Em gráficas mais modernas, as impressoras contém unidades que imprimem uma das cores primárias de cada vez, mas o processo é contínuo e automático para as quatro cores ou mais cores. Veja os Procedimentos.


1o) Expõe-se a imagem do fotolito com a separação de cor sobre uma chapa recoberta com uma substância sensível à luz, passando por um processo semelhante ao da revelação fotográfica. A imagem revelada na chapa é um negativo, coberto por uma substância química que atrai a tinta e repele água. A área onde não há imagem para imprimir, atrai a água e repele a tinta.

2o) Molha-se a chapa. A chapa é colocada num cilindro rotativo e, primeiramente, entra em contato com um rolo molhado, para depois passar ao processo de impressão.

3o) Entintamento. Um rolo de tinta aplica uma fina camada de tinta a base de óleo na chapa, entintando a área de imagem a ser impressa.

4o) Um rolo de borracha é pressionado contra a chapa de impressão e carrega a tinta que ali foi depositada. A borracha é utilizada por sua capacidade de pressão suave sobre o papel, distribuindo de maneira uniforme a tinta.

5o) Impressão. É o último passo. O rolo de borracha passa sobre o papel e é feita a impressão da cor.

Flexografia

A flexografia utiliza imagens planas, sem retículas pequenas, impressas numa chapa de borracha ou photopolímero que imprimem diretamente sobre a superfície. A flexibilidade da chapa de impressão permite imprimir sobre superfícies irregulares como latas de alumínio, embalagens de plástico ou cartões corrugados. É também um processo mais econômico do que o offset. É muito utilizada em embalagens.

Rotogravura

A impressão em rotogravura utiliza um cilindro no qual a superfície é escavada. São essas escavações que permitem o depósito da tinta. É uma impressão utilizada para impressões de alta qualidade e de grandes tiragens pela sua capacidade de reprodução sem ganhos de ponto mas também pelo seu alto custo.

Serigrafia ou silkscreen

É um método relativamente simples. Têm-se uma tela na qual, através de processo fotográfico, alguns pontos são obstruídos com emulsão. As áreas não obstruídas retêm a tinta, que é passada com um rodo, para posterior impressão. É um processo artesanal, indicado para pequenas tiragens. Usa-se muito Silk em camisetas promocionais pelo baixo custo no processo.

Termografia (Xerox, Fiering)

É um processo que não utiliza solventes, mas um toner que fixa um pó onde a imagem será revelada. O pó passa por uma fonte de calor que faz a sua fusão resultando na imagem.

HI-FI

A impressão de alta fidelidade usa um processo adicional de tintas para reproduzir as cores do espectro. Por exemplo, uma revista impressa em alta fidelidade deverá utilizar laranja, verde e roxo, além das primárias. A impressão será feita em sete cores. Este processo dá um ganho de 20% no croma da imagem.

Cor traz um assunto extenso, poderia apresentar facilmente dez postagens, mais todo este conteúdo apresentado é o básico, um resumo do que é necessário saber para produzir alguma coisa, a próxima etapa será as vídeos-aula onde será produzido o boletim na plataforma Windows com softwares da Adobe, até lá.

Obs:

Requisitos para a etapa de produção:

• Ter acompanhado todas as etapas postadas de produção anteriormente
• Instalar os seguintes programas:
Adobe Photoshop cs2, cs3 ou cs4 (qualquer um das versões)
Adobe Illustrator cs2, cs3 ou cs4 ou CorelDRAW
Adobe Indesign cs2, cs3 ou cs4
• Boa vontade!

Bibliografia das postagens sobre cores

Teoria e Prática das Cores, Viviane Gaspar Ribas

Thiago dos Santos

3 comentários:

Thiago,

gostaria de enviar o boletim que adotamos em nossa igreja para você dar sua opinião técnica. Como faço?
Victor Hugo - vhg2001@hotmail.com

Olá Victor, com certeza, para ajuda-lo envie para:

thiago.santos@cpb.com.br ou ticosantos@hotmail.com

Em Breve estarei postando uma série de Video aulas, não Perca!

oi sera que vc tem apostilas sobre isso ou livrosque possam me ajudar?

Postar um comentário